Paróquia Nossa Senhora das Graças
 
 ARTIGOS
Ver todos
 DESTAQUES
 
 
FOTOS EM DESTAQUE
Ver todas
 
 CADASTRE-SE
Cadastre seu e-mail para receber atualizações do nosso site:
 
 
 
REFLEXÃO: DOMINGO DE RAMOS - DOM PEDRO CARLOS CIPOLINI
Imagem
Neste domingo inicia-se a “Semana Santa” que para nós cristãos católicos tem um significado todo especial e profundo. A Páscoa é a festa principal e o acontecimento mais decisivo e importante para nós. O domingo de Ramos é a porta de entrada para celebrarmos a Páscoa, dado que não podemos separar a paixão e morte de Jesus de sua ressurreição. Durante a Semana Santa tem importância singular as celebrações, porque através delas revivemos o que celebramos atualizando o mistério em nossa vida.

Lemos no Missal Romano, no que se refere ao Domingo de Ramos: “Na hora conveniente, reúne-se a assembléia dos fiéis num lugar apropriado fora da igreja, trazendo os fiéis ramos nas mãos. O celebrante abençoa os ramos. É proclamado o Evangelho referente à entrada de Jesus em Jerusalém. Precedida pela cruz, a assembléia se dirige em procissão - cantando salmos e hinos de louvor a Cristo rei - para a igreja na qual se celebra a Eucaristia”. As leituras prescritas para esta celebração são as seguintes: MT 21,1-11; Is 50, 4-7; Fl 2. 6-11; Mt 26, 14-27,66.

Com a linguagem simbólica própria da liturgia, ao vivenciarmos esta celebração, somos introduzidos no dinamismo da fé e do contato com o mistério de Jesus Cristo que é o Senhor; Senhor que se fez Servo por amor. Servidor porque o amor é sempre um sair de si e colocar-se a serviço da vida daqueles que se ama. E neste Domingo de Ramos celebramos Jesus Cristo REI pelo seu amor, o que equivale a dizer, rei pela sua cruz porque quem ama de verdade sofre e o sofrimento ensina a amar sempre mais.

Iniciando a celebração, ouvimos o trecho do evangelho que nos fala do acontecimento lembrado: Jesus que entra em Jerusalém. Ele vai em direção à cruz enquanto a multidão pensa que ele, com o poder que demonstrou, vai em direção ao poder e à fama, que se conquistam pela violência. Mas Jesus nos deixa perplexos porque ele recusa combater o mal com o mal. Ele recusa a violência como método de instauração de uma sociedade nova, onde a fraternidade e a solidariedade sejam normas de vida. O amor não se impõe, se propõe e deve ser assumido com a convicção e a força que brotam do interior dos corações.

Quando a procissão avança, seguindo a cruz de Jesus, queremos demonstrar que o escolhemos como nosso Senhor, e o seguimos também pelo caminho difícil de sermos testemunhas do amor-crucificado em nosso mundo que valoriza outras coisas, como por exemplo a competição, o consumismo, o acúmulo de bens e sobretudo o “levar vantagem em tudo” na base do individualismo como regra de vida.

Jesus é o vencedor da morte e por isso o seguimos. Morrendo na cruz destruiu a morte e deu-nos a vida. Por isso levamos os ramos nas mãos que simbolizam a vitória. O vencedor, nas competições esportivas da antiguidade clássica, recebia a palma da vitória. Ao levarmos os ramos sinalizamos que seguimos um vencedor e não um derrotado. Venceu pela força mais poderosa que existe: o amor. Jesus é rei do amor, amor que é a força misteriosa, o dinamismo mais poderoso que existe porque vence a morte. A morte não tem poder sobre quem ama, assim como não teve poder sobre Jesus que ressuscitou glorioso.

Quando a procissão chega à igreja proclama-se a Paixão de Cristo segundo o Evangelho de Mateus. Relato sucinto e comovente: é um Deus que sofre por nós. Só assim podemos crer que Ele nos ama e pode salvar-nos. Ele mergulha no mais profundo do sofrimento humano, o sofrimento do inocente desamparado. E no fundo deste poço Ele vence a morte e vai resgatando todos os vencidos ao longo da dramática história humana.

Que os ramos, ao serem abençoados, levados em procissão e depois guardados em casa, nos recordem a libertação que Cristo nos conquistou, e sobretudo nosso compromisso com esta força libertadora do amor que Ele demonstrou na sua paixão, morte e ressurreição.

Dom Pedro Carlos Cipolini - Bispo Diocesano de Amparo

 
Voltar
Imprimir
Comentar
Página Principal
Divulgação:
 
 ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Ver todas
 
DESTAQUES
 
 
VÍDEO EM DESTAQUE
Ver todos
 
PESQUISAR NO SITE
Digite a palavra ou frase de seu interesse:
 
 
Paróquia Nossa Senhora das Graças - Fone: (19) 3824-1156 - Rua Rio de Janeiro, 70 Centro - Águas de Lindóia (SP)