Paróquia Nossa Senhora das Graças
 
 ARTIGOS
Ver todos
 DESTAQUES
 
 
FOTOS EM DESTAQUE
Ver todas
 
 CADASTRE-SE
Cadastre seu e-mail para receber atualizações do nosso site:
 
 
 
Cartas de Catequese - D. Pedro Carlos
CARTAS AOS PAIS
SOBRE TEMAS DE CATEQUESE DE INICIAÇÃO CRISTÃ
POR DOM PEDRO CARLOS

(Me pediram para escrever de forma acessível aos pais de crianças da catequese, sobre alguns temas relativos à fé em Deus hoje, e eu escrevi em forma de carta, achei melhor. Nas horas vagas fui escrevendo e agora os partilho com vocês. São alguns temas que podem ajudar os pais que tem filhos se preparando especialmente para a primeira Eucaristia)

1. DEUS EXISTE?

Querido irmão (ã) iniciante

Meu abraço amigo e fraterno!
Como vai você? Está bem? Espero que estejas bem e com muita curiosidade para o que vamos conversar aqui. Sinceramente estou contente de poder encontrar você para iniciarmos uma conversa. Toda a nossa vida é um caminho que vamos seguindo ora tristes ora alegres, mas não podemos parar. Isto porque o tempo passa, e muito depressa como dizemos comumente. Mas na verdade somos nós que passamos.
Então nos perguntamos por que vivo? Qual o sentido de minha vida? O que vale realmente a pena? Aposto como você já pensou muito nisso não é verdade? Pois bem gostaria de lhe escrever sobre isso. Não é que eu saiba mais que os outros, mas pediram para escrever sobre isso a você, porque sou o pastor de vocês, e devo ajudar as pessoas de boa vontade, que fazem estas perguntas a encontrarem alguma resposta. Pois bem, faço-o com muito gosto e alegria. Gosto de escrever sobre esses temas.
Pois bem as perguntas acima são feitas por todas as pessoas, e por mais que elas tentam responder nunca ficam satisfeitas. Falta sempre algo, nunca as respostas estão completas. Há um vazio em nós que ninguém pode preencher. Nem mesmo a pessoa amada, porque ela também sente no fundo do coração, que ainda falta algo para que a felicidade seja completa. E então?
Então nós pensamos em Deus. Só Ele pode preencher o coração humano. Muitas pessoas dizem que Deus não existe? Será que elas dizem e acreditam no que dizem? Ou elas estão falando de imagens de Deus que às vezes são mostradas e que na realidade são imagens falsas? Nem tudo o que brilha é ouro e nem todas as falas sobre Deus são verdadeiras.
Os seres humanos podem se equivocar, errar na hora de buscar Deus. Mas que Ele existe, sim existe. Qualquer pessoa honesta com sua consciência, ouve brotando lá do fundo do coração uma voz suave e delicada assegurando que não somos fruto do acaso e que tudo está envolto em um grande mistério: o mistério de Deus, do Ser supremo, do Criador...como você desejar chamá-lo.
Às vezes as pessoas não acreditam em Deus porque dizem: Se Deus existisse não existiria tanta maldade no mundo! É o escândalo do mal no mundo. Por que existe maldade se Deus é bom? Pois é, faz parte da bondade de Deus ter nos criado livres: ninguém é obrigado a fazer o bem. Você tem que escolher. Deus respeita sua escolha. Se Ele não nos tivesse criado livres, Ele não seria bom, e se não fosse bom não poderia ser Deus.
Deus sendo bom só pode ser amor e o que Ele espera de nós é amor, mas a humanidade prefere sempre o egoísmo. Usa sua liberdade não para amar, mas para fazer o mal. Aí então este mundo criado por Deus para ser um paraíso fica assim estragado. Mas o amor de Deus está presente e permanece porque Deus é fiel. Tendo nos amado ama sempre e amará até o fim.
A melhor maneira de você provar que Deus existe é fazer a experiência de amar e ser amado por alguém de verdade. Você já fez esta experiência?
Ás vezes as pessoas são amadas, mas não percebem ou não acreditam neste amor. E nem sabem amar os outros. Deus é amor, quem ama conhece a Deus, diz a Bíblia. É verdade, as pessoas que se sentem verdadeiramente amadas jamais duvidam de Deus, porque o amor é uma força tão poderosa e redentora que qualquer um percebe que não procede do ser humano mas de alguém superior ao homem. O amor vem de Deus, o amor é o modo de vida de Deus. Quem experimenta o amor entra na dinâmica de Deus e vai se tornando feliz, e mais feliz, a cada dia, apesar das dificuldades da vida.
Me alonguei demais. Quero porém, lembrar que nós não percebemos a Deus no microscópio. Deus é um mistério muito grandioso para se tornar prisioneiro nosso e de nossos equipamentos científicos. Porém Ele se revela. Nós o podemos perceber com um óculos especial que se chama fé. Escreverei depois sobre isto também. Agora gostaria que você refletisse a respeito do que lhe escrevi. Deus é para você uma pergunta que você continua se fazendo? Uma dúvida que você sempre teve? Alguém que você já experimentou na sua vida?
Deixo você com um grande abraço desejando que você seja iluminado(a) por aquela parte mais nobre e profunda de teu ser que é o santuário de tua consciência onde só você e Deus pode entrar. Até breve.
Seu pastor e pai na fé

Dom Pedro Carlos Cipolini

2. EM QUE DEUS VOCÊ ACREDITA?

Querido irmão (ã) iniciante
Meu abraço amigo e fraterno!

Espero que você esteja bem e que as coisas estejam indo bem com você. A vida é uma busca de respostas e, quando buscamos juntos parece ser mais fácil de encontrarem as respostas. Vamos continuar nossa conversa.
Que bom poder encontrar você de novo para continuar nossa conversa sobre o assunto mais importante do mundo e que mais preocupa as pessoas: Deus. Isto porque uma parte da humanidade que acredita nele se preocupa para conhecê-lo sempre melhor e a outra para negar sua existência sempre com mais argumentos. É uma luta. Ninguém fica indiferente diante da pergunta fundamental sobre Deus. E agora você pode estar se perguntando: em que Deus acredito?
Diante da pergunta sobre Deus existem três caminhos que podemos seguir para obter resposta.
O primeiro é o caminho da razão. Nossa mente raciocina e pergunta. Pergunta muito e faz pergunta sobre a própria pergunta. Procurando responder com o raciocínio a tantas perguntas e necessidades o ser humano progrediu muito. É o progresso científico. Usando seu raciocínio o homem transformou o mundo inventando máquinas maravilhosas.
A razão humana construiu verdadeiros impérios do pensamento (filosofias), da técnica (máquinas) e do saber (ciência). Através da razão o ser humano pode estudar e pesquisar para encontrar resposta sobre a pergunta: existe Deus? Porém a razão chega em um ponto no qual não consegue mais resposta. Deus é maior que a razão humana. Então a pessoa pode dizer: a) Deus não existe pois não posso provar sua existência com minha razão b) Deus existe mais ninguém pode saber nada sobre Ele, é melhor esquecê-lo. Muitas pessoas de fato, sem negar a existência de Deus vivem como se Ele não existisse, nem sequer se fazem mais perguntas sobre Ele.
Mas a razão, o raciocínio é um caminho válido para conhecer a Deus, quando trilhado com humildade. A Bíblia manda amar a Deus com toda nossa inteligência, é um mandamento sábio. Mas devemos reconhecer que nossa inteligência não é suficiente para compreender a Deus como se compreende um problema de matemática. O que você pensa de Deus em relação á ciência. Será que precisamos negar Deus se desejamos ser cientistas? Não é claro que não.
Outro caminho é o das Religiões. As Religiões falam de Deus. Elas já facilitam mais nossa compreensão de Deus porque através das orações, ritos e símbolos abrem nossa mente para penetrar um pouco no grande mistério que é Deus. Já é melhor, é um passo grande. Mas muitas pessoas religiosas, são religiosas, por medo, tradição, costume. Nem conhecem bem sua religião. As religiões todas são boas. Sim são boas se te fazem ser melhor. Se ao segui-las você fica mais humano, mais “gente”, mais feliz. Agora tem muita coisa que aparece como religião e que na realidade não é nada mais que “enrrolação” e pior meio de vida. Você sabe do que estou falando não é? Teu Deus é o Deus da religião, do cumprimento de obrigações religiosas? Já é um grande passo!
Já que o mistério de Deus é tão imenso e as pessoas o procuram. Ele que também procura as pessoas, Ele se revelou. E então meu amigo (a) aqui temos o terceiro e o melhor caminho para Deus: a Revelação. Que não exclui os outros caminhos. Deus veio até nós se revelou. O que é a Bíblia? É a Palavra de Deus escrita em palavras humanas. Na Bíblia Deus se revela como sendo o Pai nosso, criador de todas as coisas por amor. Ele se revela como amor. Por que nos criou? Você sabia que quem ama quer se comunicar. Você ama e este teu amor faz você procurar alguém para compartilhar seu amor. É o que a Bíblia nos revela: Deus é amor e seu plano de amor é a criação, a natureza e o ser humano o que de mais precioso Ele criou.
Poderia escrever tantas outras coisas mais...Porém já me alonguei muito não é? Queria escrever uma carta e não uma extensa lição. Deixo para você uma pergunta: Qual é o Deus em quem você acredita? O Deus da ciência somente? Ou o Deus da ciência e da religião? Ou o Deus da religião somente/ Ou o Deus da Revelação Bíblica que não entra em contradição nenhuma com a razão e a religião?
A Revelação bíblica nos abre horizontes maravilhosos e eu gostaria que você participasse desta alegria de crer na Revelação, ou você já crê?
Sem mais por hoje, deixo meu abraço no desejo de que você vá crescendo sempre mais e ouvindo a voz suave que te chama do íntimo do teu coração. Até a próxima. Com carinho:

Dom Pedro Carlos Cipolini

3. COMO DEUS FALA CONOSCO?

“Deus mostrou-nos sua glória e grandeza, e nós ouvimos a sua voz do meio do fogo.Hoje vimos que Deus pode falar ao homem, sem que ele morra” (Deuteronômio 5, 24)

Caros Pais
Espero que estejam bem e animados a continuar nossa conversa, com o objetivo de levar as crianças a tomarem o caminho de Jesus. Vocês como pais transmitiram a vida física a vossos filhos e são chamados a transmitirem também a vida espiritual, como já vos disse.
Não é nada fácil hoje em dia cumprir esta tarefa, penso que às vezes ficam desanimados, mas não, é preciso prosseguir. Deus está com vocês e deseja ajudar-vos no cumprimento desta tarefa. Quem procura ajuda para cumprir sua missão sempre encontra, já que Deus não desampara ninguém e sempre vem em nosso auxílio.
Vocês devem estar assustados com tantas tragédias que acontecem envolvendo crianças. Pensemos e rezemos pela menina Isabela e tantas outras. Às vezes os pais envolvidos nestas tragédias, são pessoas que não tiveram a sorte que os filhos de vocês estão tendo. A sorte de terem pais que se preocuparam em ensinar-lhes os princípios religiosos, que procuraram fazê-los conhecer Jesus e a vida no amor a Deus e ao próximo.
Se às vezes procuramos uma resposta, podemos ficar pensando: como Deus vai responder minhas preces? Como Deus vai falar comigo? Na verdade Deus fala conosco. Ele não é um pai ausente, que nunca se preocupa com o filho ou que nunca fala com ele ou ela. Deus fala conosco sim. Você já o ouviu? Pense bem.
Deus em primeiro lugar fala conosco atreves da natureza, deste mundo maravilhoso que existe ao nosso redor e que nós muitas vezes nem sequer notamos. O ser humano infelizmente, pelo pecado acabou estragando a natureza. Hoje nos preocupamos com o grau de destruição que se tornou alarmante, poluição, desmatamento, etc...Precisamos muito esforço para falar com Deus através da beleza de suas obras.
Deus nos falou também e de forma definitiva através de seu filho Jesus Cristo. Jesus é o caminho, a verdade e a vida. Em Jesus nós temos todas as respostas que procuramos. Jesus é uma carta que Deus nos escreveu e esta carta está nos evangelhos que é o miolo da Bíblia. São quatro evangelhos: Mateus, Marcos, Lucas e João. Lendo estes evangelhos nós podemos entrar em contato com Deus como quando lemos uma carta que alguém nos escreve e assim falamos com esta pessoa que nos escreveu.
Há ainda uma maneira profunda com a qual Deus nos fala. Ele fala-nos no íntimo de nosso coração, naquele lugar mais escondido de nosso ser onde somente eu e Deus podemos entrar e mais ninguém: Deus me fala no íntimo de minha consciência. Nossa consciência somente pede para fazer coisas boas, já notou? E ela mostra quando fazemos algo errado. Infelizmente existem pessoas que de tanto fugir da voz de sua consciência acabam não a ouvindo mais. Pessoas sem consciência, pessoas sem Deus.
Mas Deus fala-nos ainda de outra maneira se nós estivermos atentos e se tivermos buscando entrar em contato com Ele. Deus nos fala através das pessoas com quem convivemos e também através dos acontecimentos da vida.
Quantas vezes você não percebeu que alguém vem e fala uma palavra tão boa, que você estava precisando tanto e que ilumina teu coração e toda a situação que você está vivendo, ás vezes situação difícil e triste? Pense nas muitas vezes que os acontecimentos da vida também te inspiraram coisas boas, atitudes que mudaram o rumo de tua vida? Só que para ouvir Deus falando através das pessoas e dos acontecimentos, é preciso que você esteja atento e às vezes não estamos.
Enfim, para ouvir a voz de Deus na nossa vida devemos em primeiro lugar ter fé, depois buscar o contato com Deus. E isto nós fazemos admirando a natureza e ajudando a preservá-la, lendo, meditando e ouvindo a Palavra de Deus que está na Bíblia, procurando conhecer sempre mais quem é Jesus Cristo o Filho de Deus, depois, entrando em nosso íntimo e meditar, orar, pensando na nossa vida e por fim estando atentos para acolher as pessoas e os acontecimentos através dos quais Deus nos fala certamente.
Queridos pais, ao se interessarem pela caminhada da catequese de seus filhos vocês estão ajudando-os a conhecer como se fala com Deus e isto é vital. Sem Deus a pessoa jamais poderá ser feliz. Sem aprender a falar com Deus ela sempre se sentirá na solidão por mais amigos que possa ter. Só Deus preenche o coração humano. Sem falar com Deus e ouvi-lo a vida fica vazia e aí está o perigo. Preencher o vazio com quê? Muitos partem para a ignorância (droga e a prostituição ...).
Abraço a todos vocês e espero que não desanimem, coragem. Deus está falando para vocês, através de mim que sou vosso padre: Perseverem!
Deus os abençoe!

Dom Pedro Carlos Cipolini

4. QUE IMPORTÂNCIA TEM SUA FAMÍLIA PARA VOCÊ?

“Escuta meu filho a disciplina do teu pai, não desprezes a instrução de tua mãe, pois será formoso diadema em tua cabeça e colar em teu pescoço” (Pr 1, 8-9)

Caros Pais

Hoje nosso assunto é a família. Sua família é importante para você?
A família deriva do casamento, sendo constituída pela comunidade formada pelo casal e seus filhos, onde a vida deve se desenvolver em ambiente de amor e colaboração.
Todos concordamos que a família representa a célula primária da sociedade, da Igreja. Ela é uma comunidade natural e universal, desejada por Deus no seu plano de Criação. Podemos concluir que segundo o testemunho bíblico, Deus é o inventor da família. Criou o homem e a mulher um para o outro, a fim de crescerem e se multiplicarem: “Já não são dois mais uma só pessoa, e o que Deus uniu o homem não separe” (Mt 19,6). Jesus quis viver em uma família, a família de Nazaré, nela aprendeu a conviver e responder aos problemas da vida (Lc 2,39-40)
Na bíblia a família é designada com o nome da “casa”. A casa, o lar, encontra-se entre as necessidades mais inadiáveis da pessoa, é algo sagrado que todos querem ter. Ter uma família é um desejo de todos. Embora hoje a família passe por muitas transformações e crises, não deixa de ser uma aspiração das pessoas. A família aparece como a primeira e a menor das instituições, sendo, no entanto, a mais importante dado que é a base de todas as demais instituições de nossa sociedade.
Hoje vivemos uma crise em relação ás famílias. A família perdeu o seu referencial de valores. As grandes e rápidas mudanças que acontecerem na sociedade foram gerando novas situações nas quais a família acabou perdendo sua identidade. Devemos nos perguntar pelo valor da família. Onde reside este valor tão decantado da família?
Boa pergunta!
O valor da família está na comunidade. Deus quer salvar as pessoas não, isoladamente, mas em comunidade. Aliás, o próprio Deus é comunidade de amor, a “família” trinitária: Pai, Filho e Espírito Santo. Deus é único sem ser sozinho. Um mistério de união e comunhão.
União e comunhão é a vocação do ser humano. E é na família que aprendemos a viver em comunhão, aprendemos a solidariedade, desabrochamos para a vida no amor. Por isso a família pode ser chamada de santuário da vida. O papa João Paulo II deixou escrito: “O futuro da humanidade e o futuro da Igreja passam pela família”. Isto porque o futuro da humanidade depende de sabermos conviver uns com os outros.
Agora vem a pergunta que deu início á esta carta: Qual a importância que você dá á sua família? Será que para você ser família é uma vocação, um compromisso querido e assumido?
Ser membro de uma família, constituir uma família deve ser uma vocação e não uma fatalidade ou um costume: todo mundo casa eu também vou me casar. Você sabia que nem todo mundo tem vocação para o casamento? Casar-se não é uma obrigação, é uma vocação. E quando o casamento é vocação? Quando você sente no íntimo de seu coração um chamado. Vocação vem de vocare, quer dizer chamar, convocar, etc. Você sente no coração que foi chamado a ser família?
Ser família é um compromisso. Quer dizer: é uma missão que se assume junto. Uma missão com alguém: com-promisso. Missão assumida em conjunto, primeiro com o esposo ou esposa e depois com os filhos e depois de todos para com todos. Aqui muitos se perdem porque querem a família só quando convém, pois não abandonam o egoísmo. Muitos caem na tentação de se casar e continuar a viver como se fosse solteiro ou solteira. Isto se chama imaturidade. Sem ser maduro não dá para assumir compromisso com ninguém, nem com você mesmo. Você tem consciência do compromisso do casamento, da família?
Ser família é assumir. Assumir quer dizer ter responsabilidade, ser responsável, empenhar-se vestir a camisa. Assumir é participar, estar presente!
Seria muito importante que você pudesse conversar com as pessoas de tua família, manifestando a elas sua alegria em fazer parte de uma família. Seria bom também perguntar se elas notam que para você a família é importante.
Vou terminando. Deixo a vocês um grande abraço e uma palavra de incentivo para que tenham coragem e não desanimem diante das dificuldades para manter a família unida. Se é vocação ser família e se você tem esta vocação, é aí que você se realizará como pessoa.
Deus abençoe a todos

Dom. Pedro Carlos Cipolini





5. COM QUE ATITUDES DEMONSTRA A IMPORTÂNCIA DE SUA
FAMÍLIA PARA VOCÊ?

Caros Pais
Espero que estejam bem, que esteja reinando a paz em vossos lares, com muita saúde e bênçãos de Deus.
Venho novamente até vocês para dizer algo sobre a importância da família na sua vida. Na carta passada, escrevi sobre a importância da família na vida das pessoas. Certamente você concorda que a família é importante. Ela é o santuário da vida como dizia o papa João Paulo II. Agora quero refletir com vocês sobre como vocês demonstram esta importância. Quais suas atitudes, suas maneiras de viver e conviver em suas famílias mostrando realmente a importância que vocês dão para a família.
Percebemos que muitas pessoas não sabem valorizar a família que tem. Muitos não gostam de sua família. Outros gostam, mas não sabem demonstrar. Outros conseguem demonstrar como valorizam a família dando-lhes todo seu amor.
Penso que valorizar a família é viver e demonstrar amor. Amor dos pais entre si, dos pais para com os filhos e dos filhos para com os pais. Enfim, de todos para com todos em uma família. Amar é a maneira de vivenciar a importância que tem a família em sua vida. Então surge a pergunta: O que é o amor?
O papa Bento XVI em sua carta “Deus é amor”, fala-nos do amor compreendido hoje de várias maneiras. O amor compreendido somente no seu aspecto herótico, sexual. Fala do amor compreendido como bem-querer entre pessoas do mesmo grupo, amor de amizade, ou seja, eu amo quem me ama, amo meus parentes, amigos e conhecidos. Mas o papa nos diz que o amor cristão ultrapassa tudo isso. O amor cristão é um amor-doação que busca em primeiro lugar o bem do outro e não o seu próprio.
Um dos textos da bíblia que descrevem muito bem o que é o amor é a carta de São Paulo aos coríntios, capítulo 13, 1-8:
“Ainda que eu falasse línguas, as dos homens e dos anjos, se eu não tiver amor, seria como um sino ruidoso ou como símbalo estridente. Ainda que eu tivesse o dom da profecia, o conhecimento de todos os mistérios e de toda a ciência; ainda que eu tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tivesse o amor eu não seria nada. Ainda que eu distribuísse todos os meus bens aos famintos, ainda que eu entregasse o meu corpo às chamas, se não tivesse o amor, nada disso me adiantaria.
O amor é paciente, o amor é prestativo; não é invejoso, não se ostenta, não tem orgulho. Nada faz de inconveniente, não procura seu próprio interesse, não se irrita, não guarda rancor.Não se alegra com a injustiça, mas se regozija com a verdade. Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais passará”
Peço agora, que vocês reflitam sobre este texto e cheguem á conclusão até que ponto você valoriza sua família e demonstra seu amor, amando como ensina o apóstolo S. Paulo.
Termino mais esta carta desejando a vocês que sejam firmes, não desanimem e sobretudo que orem a deus pedindo o dom da fé e do amor para que sua família seja feliz.
Um grande abraço.

Dom Pedro Carlos Cipolini





6. VOCÊ TEM ALGUMA EXPERIÊNCIA DE FÉ?

“A fé é a certeza das coisas que esperamos” (Heb 11,1)

Queridos pais:

Mais uma vez estamos juntos para refletirmos sobre nossa fé. E hoje o assunto é justamente sobre a “experiência de fé”. È uma boa pergunta porque a fé realmente é uma experiência. A fé é como o amor, não adianta falar muito dele nem cantá-lo em prosa e verso, se você não sabe o que é o amor, se você nunca o experimentou, tudo não passa de palavras vazias. Assim também a fé é muito mais que um conceito ou uma idéia.
As pessoas costumam dizer: “Eu tenho muita fé, tudo o que pessoa a Deus Ele me dá”. Será isto ter fé? Não seria isto tomar Deus por teu empregado? Ou o gênio da lâmpada que realiza todos os teus desejos? Fico pensando em vocês, caros pais, muitas vezes você não pode dar o que o filho pede, para o bem dele mesmo. Ás vezes Deus mostra mais seu amor por nós não nos dando o que pedimos do que atendendo nossos pedidos. Concordam comigo?
Mas então, como fazer esta experiência de fé? A fé depende de Deus, é um dom de Deus, nós devemos pedir. Porém, á nós cabe receber este dom, estarmos atentos para perceber o chamado de Deus em nossa vida. Sabemos que Deus nos fala continuamente através da sua Palavra que está na Bíblia, mas Deus nos fala também através da vida, dos acontecimentos da vida. É preciso estar atento.
Quando estamos desejando encontrar uma pessoa, ficamos atentos para aproveitar a oportunidade. Assim também, é preciso estar sempre atentos e nos interrogar sobre o que Deus quer dizer para nós, com isto ou aquilo que acontece em nossa vida. Pois bem, a experiência de fé brota desta atenção, desta busca. É preciso estar aberto para receber do dom da fé.
No Evangelho Jesus nos pede somente uma coisa, esta abertura para receber o dom da fé: “Se tiverdes fé como um grão de mostarda, transportareis as montanhas” (Mt 17,20). Com isso Jesus quer nos dizer que a fé nos dá a força de Deus, com fé, a pessoa pode realizar obras que só Deus pode realizar. E é verdade, quantas vezes ouvimos pessoas dizerem: “Não foi eu que fiz, foi Deus, se não fosse por Deus eu não teria conseguido... só por Deus”. Assim, experimentar a fé é experimentar a força de Deus agindo em nós.
O terreno no qual a fé se desenvolve é esta busca, esta abertura, esta entrega a Deus. Neste terreno pode brotar o dom da fé e a fé é o tesouro maior que nós temos. É a chave que abrirá para nós a porta do céu: “Quem crer será salvo” (Mt 16,16). Gosto muito de meditar a frase tão animadora que está lá na carta de São João: “A fé é a vitória que vence o mundo” (1Jo 5,4).
Agora, temos que considerar que a fé não é somente uma atitude espiritual, interior, mental ou algo que se passa somente dentro de nós. A fé só é verdadeira se for transformada em ação, se der frutos. Não são palavras que provam a sua fé, mas são suas atitudes que provam se você fez uma experiência de fé: “A fé age pela caridade” (Gl 5,6). São Tiago também fala que a fé sem as obras é morta (Tg 2,20).
Podemos concluir que a experiência de fé é essencial para que você seja um cristão (ou cristã) autêntico. É preciso fazer esta experiência pessoal de fé se queremos ser cristãos adultos.Pelo batismo nos recebemos o dom da fé, mas ele permanecerá sem efeito se não tomarmos consciência dele. O dom da fé fica como as brasas acesas cobertas pela cinza, quando a pessoa não faz uma experiência de Deus em sua vida.
O documento dos bispos da América Latina, reunidos em Aparecida nos descreve a experiência de fé: “É a resposta inicial de quem escutou o Senhor com admiração, crê nEle pela ação do Espírito, decide ser seu amigo e ir após Ele, mudando sua forma de pensar e de viver, aceitando a cruz de Cristo, consciente de que morrer para o pecado é alcançar a vida” (DA 278 b).
Espero que você já tenha feito a experiência de fé que impulsionará sua vida cristã, e fará com que a fé, recebida no batismo seja experimentada por você. A fé também precisa ser cultivada e isto se faz pela oração, pela participação na comunidade, participação nos sacramentos.
Que nós possamos sempre dizer como o pai daquela criança disse a Jesus: “Creio Senhor, mas aumenta minha fé” (Mc 9,27).
Uma benção especial a vocês que estão buscando Deus

Dom Pedro Carlos Cipolini

7. VOCÊ JÁ EXPERIMENTOU DEUS?

“Deus Pai nos arrancou do poder das trevas e nos transferiu para o Reino de seu Filho amado,Jesus, no qual temos a redenção, a remissão dos pecados. Ele é a imagem do Deus invisível.”(Cl 1,13-15)

Queridos pais
Desejo que tudo esteja bem com vocês. E se as coisas não estão indo bem, que vocês tenham uma fé suficientemente madura, para perceber que Deus vai se manifestando e ensinando nas coisas alegres, risíveis da vida e também nos acontecimentos difíceis e tristes. É necessário experimentar a presença e ação de Deus em tudo e em todos os momentos, É sobre isso que falaremos hoje.
Infelizmente uma tradição de séculos nos fez encarar a Deus como um ancião senil e que morava muito longe, para lá das nuvens. No entanto, Ele estava em toda parte e tudo via, e castigava quem errava. Todos tinham medo de Deus. Será que isto, ter medo, é uma experiência válida de Deus? De que Deus? Quando as pessoas pensavam que foi Ele que criou o ser humano e que para Ele todos voltariam, o medo da morte aumentava mais ainda. E quando se afirmava que o sentido da vida estava em servir este Deus que inspirava medo, a situação ficava mais séria, pois a religião era algo obrigatório que se praticava por medo.
Muitas vezes os pais mostram aos filhos esta imagem de um Deus severo e castigador. Até mesmo usam esta imagem de Deus para amedrontar os filhos: “Olhe Deus castiga...”
Você já se perguntou se Deus é assim mesmo, se sua imagem de Deus corresponde realmente ao Deus verdadeiro? Será que esta imagem de Deus não está deturpada? É este o Deus que você experimentou em sua vida?
Porém tudo isto deve ficar no passado. Por mais que falemos de Deus e digamos quem Ele é, Ele é sempre maior, é muito mais do que possamos dizer Dele e do que possamos experimentar.Então qual é o caminho para conhecer Deus e experimentá-lo? Se você diz que acredita em Deus, alguém pode perguntar: em que Deus? Jesus nos revela o Deus verdadeiro.
Jesus nos mostra que Deus é Pai, é o “Pai nosso”, portanto somos todos irmãos. Ele toma a iniciativa de nos salvar e para isso vem ao nosso encontro. Ele vem nos salvar de que? De nosso egoísmo que é o mau uso de nossa liberdade: ao invés de usarmos nossa liberdade para amar a Deus e assim nos realizarmos, usamos nossa liberdade para ser egoístas. Está é nossa desgraça, nosso pecado.
Em Jesus Deus quer comunicar-nos seu amor e quer que correspondamos a este amor. Isto e só isto nos fará felizes. Jesus nos ensina que o Pai age no mundo através de nós.
Jesus nos revela um Deus cuidadoso que em tudo nos acompanhará com amor infinito, Ele cuida de cada um e dirige a vida de cada um que a Ele se confia com esperança. Jesus nos revela um Deus conosco, presente, que nos acompanha na trajetória de nossa história. Ele está sempre presente em nossa vida. Somos nós que não o percebemos, quão o experimentamos.
Eu estou aqui, diz o pai ou a mãe, quando o filho chora e não consegue dormir porque tem medo do escuro porque a luz na casa acabou e a tempestade ameaça lá fora.
Eu estou aqui diz Deus, quando você fica ansioso, desesperado com alguma situação que não consegue mudar. Eu estou aqui, diz Deus, quando o povo oprimido clama por uma vida nova de libertação. Eu estou aqui, diz Deus quando lá na discoteca o jovem olha para a moça e seus corações se derretem porque encontraram-se um ao outro, como sempre sonharam.
Fica claro que Jesus nos revela um Deus de Amor e Misericórdia, que por isso mesmo ama a justiça e a fraternidade. Ele nos convida a entrarmos no dinamismo do seu amor, mas para isso é preciso faze experiência Dele. E então eu pergunto: Você já fez alguma experiência de Deus em sua vida? Digo, deste Deus que Jesus nos revelou? Ou você só fez experiência de uma falsa imagem de Deus: o Deus do medo?
Gostaria de saber a vossa resposta e peço que esta carta, somente esta vocês me respondam. Aguardarei.
Abençôo a todos, desejando a muita paz e alegria no Deus amoroso que é nosso Pai.

Dom Pedro Carlos Cipolini




8 . SER CRISTÃO CATÓLICO: UMA FÉ PROFESSADA!

“Tu és o Messias, o Filho de deus vivo” (Mt 16,6)

Queridos Pais
Saudações fraternas

Continuo admirando vossa boa vontade em dar o melhor para vossos filhos: uma vida de fé! O que adianta ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma (vida eterna)? Perguntou Jesus certa vez (Mc 8,36). Assim também Ele pergunta hoje: o que adiante dar de tudo para seus filhos e não dar a eles um sentido para a vida? E o sentido da vida vem pela fé e a prática da fé, porque a fé sem as obras é morta diz a carta de S. Tiago (Tg 2,14-17).
E o que é ser cristão? Ser cristão católico não é seguir uma série de regras e nem mesmo fazer parte de uma instituição milenar. Ser cristão de verdade depende de um encontro pessoal com Jesus no íntimo de teu coração e depois, viver este amor a Jesus, na comunidade daqueles que também fizeram esta experiência. E assim, a partir desta comunidade de fé e amor, ser missionário, comunicando a felicidade de crer aos outros, dando testemunho deste amor de Deus manifestado em Jesus Cristo, para que o mundo creia no amor de Deus.
Ser cristão católico, portanto é crer firmemente em Jesus o Filho de Deus que se fez homem para nos salvar. A Deus ninguém jamais o viu, mas Deus se manifestou, Ele tem um rosto e o rosto de Deus é Jesus seu Filho. Deus amou tanto o mundo que não quis salvá-lo de longe, veio Ele mesmo, na pessoa de seu Filho para nos salvar. Ser cristão católico é, portanto crer e viver o Evangelho de Jesus Cristo e estar unido a Ele pelo batismo que nos faz membros da Igreja.
Igreja, sim, pois não existe fé individual mas somente fé comunitária, a vivência do Evangelho se dá em comunidade. Se o maior mandamento é o mandamento do amor, devemos amar e isto se faz através do relacionamento e não através do isolamento. Nada mais anti-cristão que o individualismo, o egoísmo. Este caminho é o caminho da perdição. A Igreja é a comunidade dos que encontraram o Senhor Jesus, acreditam que Ele é o filho de Deus e se tornaram discípulos e discípulas Dele.
Você sabe que são muitos os que hoje se dizem seguidores de Jesus, muitos o admiram como profeta, mestre, sábio, etc. Mas para nós cristãos católicos vale a profissão de fé de Pedro: “Tu és o messias (salvador) o Filho de Deus vivo” (Mt 16, 16). Jesus é o Senhor, o Salvador, é Deus feito homem.
Hoje em dia se fala muito em ecumenismo. Isto quer dizer qiue aqueles que crêem em Jesus devem se unir. Tendo a mesma fé, não há porque serem divididos. E isto é bom! Porém ecumenismo que quer dizer “reunião de todos sob a mesma fé”, só é possível com quem tem a mesma fé. Assim podemos fazer ecumenismo com quem acredita realmente com aquela fé de Pedro: que Jesus é o filho de Deus! Assim o ecumenismo é um belo testemunho de união entre as pessoas que seguem Jesus nas diversas comunidades religiosas. Não deveria haver divisão e nem briga por causa de religião, esta é a verdade,
Agora, não dá para fazer ecumenismo com quem pensa outras coisas a respeito de Jesus. Com estes vocês podem viver em paz, mas não são cristãos.
Vou dar um exemplo: o Espiritismo. Para o espírita Jesus não é Filho de Deus, mas um Espírito de Luz que atingiu a plenitude da luz que todos nós devemos atingir um dia. Para o Espírita Jesus também não é o salvador pois cada um se salva através das sucessivas reencarnações que vai passando ao longo da história até se purificar. Além do mais para o espiritismo não há o mistério da Santíssima Trindade que é o mistério fundamental de nossa fé cristã.
Não tendo no Espiritismo a Santíssima Trindade, Jesus não sendo para os espíritas o Filho de Deus e não havendo necessidade de salvador, e não existindo ressurreição mas só a reencarnação, o que sobra do Evangelho? Sobra o mandamento do amor, vivido como uma ética de boa convivência social: fazer o bem ao próximo para que haja harmonia social. E isto também para pagar o mal feito e assim na hora da reencarnação obter um desconto no tempo em que vai ter de ficar reencarnando-se.
Caros pais, como você está vendo não dá para ser católico e espírita ao mesmo tempo (espiritólico). Não é questão de não querer estar juntos é questão de “não dar liga”. É como a água e o óleo, é difícil de se misturar porque são elementos que não se combinam. Assim, em matéria de fé não tem o que conversar: para o católico Jesus é Filho de Deus, Ele é a Luz. Para o espírita Jesus é um homem que atingiu a plena realização se tornando espírito de luz. A diferença é muito grande.
Assim, podemos ser amigos dos espíritas e até trabalhar com eles fazendo a caridade, mas o que passar daí já descaracteriza a sua fé cristã. Você pela luz da fé sabe no teu íntimo quem é Jesus e o outro que ainda não tam a luz da fé e é cego, se encontram, e vão ficar brigando sobre o que se vê e o que não se vê?
A carta de hoje foi longa mas o assunto o exigiu! O que vocês não compreenderem da minha exposição, o Espírito Santo vai se encarregar de vos iluminar pois é Ele que no íntimo de nosso Coração nos explica quem é Jesus.
Um grande abraço fraterno do irmão em Cristo:

Dom Pedro Carlos Cipolini.

9. FÉ VIVIDA: TRANSFORMAR A FÉ EM EXPERIÊNCIA DE VIDA

Queridos pais
Espero que todos estejam bem de saúde e possam neste encontro de hoje crescer mais um pouco no caminho de Jesus. Recebi as cartas que me escreveram. São verdadeiras expressões de vosso amor a Deus e vossa boa-vontade em seguir seus caminhos. A experiência de Deus em nossa vida é algo maravilhoso. Gostaria hoje de escrever sobre a fé.
Quantas vezes ouvimos as pessoas dizerem: Eu tenho fé: tudo o que peço Deus atende? Será isto fé? Será que a fé não é uma postura mais adulta,
No sentido de você perceber que mesmo quando Deus não te atende Ele está fazendo-o para teu bem?
A fé é uma virtude teologal, ou seja,é um dom que vem de Deus. Nós não podemos produzir fé por nós mesmos ou adquiri-la com isso ou aquilo. Fé é dom que vem de Deus. A fé segundo a Sagrada Escritura, é uma virtude ou força sobrenatural que Deus coloca em nós desde nosso batismo. Por essa virtude nós podemos aderir de todo o coração e com toda a inteligência á verdade revelada por Deus que está na Bíblia. E como vem ensinada pela Igreja. Sem fé não podemos agradar a Deus nesta vida (Hb 11,6).
Quantos exemplos de fé podemos perceber a nossa volta. Se pensarmos em nossa vida quantas experiências e provas já passamos,e assim a fé vai se aperfeiçoando, se aprimorando.
Nos Evangelhos, a única coisa que Jesus pede é a fé. Ele disse: se tiverdes fé como um grão de mostarda transportareis montanhas. Por menor que seja a fé é a força de Deus agindo em nós. Fé não é algo que se passa no cérebro, mas em todo nosso ser. Fé é adesão total, entrega de sua vida a Deus. Fé é confiança: “ é uma maneira de possuir aquilo que se espera” (Hb 11,1).
Gostaria agora de dizer que a fé deve ser praticada. Quando a Bíblia fala em fé, está falando de nossa vida, nossos atos e atitudes. Não deve haver separação entre o que acreditamos e o que vivemos. A fé age pela caridade, pelo a mor, diz São Paulo. Por isso gostaria que você refletisse este trecho da carta de São Tiago:
“Meus irmãos, se alguém diz que tem fé, mas não tem obras, que adianta isso? Por acaso a fé poderá salva-lo? Por exemplo: um irmão ou irmã não tem o que vestir e lhes falta o pão de cada dia. Então alguém de vocês diz para ele: vão em pazastante; no entanto não lhes dá o necessário para o corpo. Que adianta isso? Assim também é a fé: sem as obras, ela está completamente morta”(Tg 2, 14-17). Este é um resumo de tudo o que se pode falar a respeito de fé e vida. Meditem-no bem e conversem entre vocês.
Um grande abraço e minha benção a todos!

Dom Pedro Carlos Cipolini
 
Voltar
Imprimir
Comentar
Página Principal
Divulgação:
 
 ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Ver todas
 
DESTAQUES
 
 
VÍDEO EM DESTAQUE
Ver todos
 
PESQUISAR NO SITE
Digite a palavra ou frase de seu interesse:
 
 
Paróquia Nossa Senhora das Graças - Fone: (19) 3824-1156 - Rua Rio de Janeiro, 70 Centro - Águas de Lindóia (SP)